Famosa no meio daqueles que praticam exercícios físicos com frequência, a maca peruana é um alimento conhecido por aumentar a energia, libido e trazer mais vitalidade.

Muito se fala dos benefícios da maca peruana para a saúde e para um melhor desempenho durante os exercícios físicos. Mas você sabe exatamente o que é e para que serve a maca peruana?

Ao longo desse artigo, você vai entender o que é , para que serve a maca peruana, como tomar, quais as contra-indicações e possíveis efeitos colaterais.

O que é maca peruana (Lepidium meyenii)

A maca peruana é um tubérculo (raiz subterrânea) cultivado na região da Cordilheira dos Andes, no Peru. Fonte da imagem: Freepik.

Popularmente conhecida como maca peruana ou viagra dos incas, a Lepidium meyenii walper é um tubérculo cultivado nas montanhas das Cordilheiras dos Andes (Peru). Existem cerca de 13 tipos de maca peruana, apresentando variações em sua coloração (amarela, roxa, preta, branca e cinza). O tipo mais comum é de cor amarelada.

A maca peruana é um alimento de alto valor nutricional, sendo rica em proteínas, aminoácidos, minerais e carboidratos.

Ultimamente, com o seu valor nutricional sendo reconhecido em todo o mundo, a raiz tem sido objeto de interesse de empresas, que buscam variar a sua comercialização. Pode ser encontrada como farinha de maca, gelatinizada, néctares, extratos, bebidas, biscoitos, geleias e cápsulas.

Benefícios da maca peruana (Lepidium meyenni)

Além das proteínas, aminoácidos, carboidratos e minerais, a maca peruana é rica em glucosinolatos, esteróis, isotiocianato de benzila, macaenos (ácidos graxos insaturados de cadeia longa), macamidas,cálcio, ferro, magnésio, ômega 3 e ômega 9, fósforo, potássio, vitamina A, vitamina C e zinco.

Todos esses compostos desempenham funções ativas no corpo humano, trazendo vários benefícios (inclusive tratamento de doenças crônicas) e promovendo o bem estar ao nosso organismo.

Dentre os principais benefícios da maca peruana, temos:

Ajuda a controlar a glicemia

A maca peruana aumenta a secreção de insulina, o que ajuda a controlar a glicemia. Fonta de imagem: Freepik.

Estudos mostram que, durante 46 dias, com uma dieta com 6 gramas de farinha de maca por dia, houve uma redução de 37% dos valores da glicemia.

Isso se dá pelo aumento da secreção de insulina, hormônio responsável pela redução das concentrações de glicose no sangue.

Propriedades antioxidantes

A lepidium meyenii é rica em vitamina C, um poderoso antioxidante, combatendo os efeitos dos radicais livres. Fonte da imagem: Freepik.

A maca peruana também protege as células de efeitos oxidantes. Isso acontece porque há um aumento da produção de vitamina C, que é um poderoso antioxidante e diminuição dos processos oxidativos e de radicais livres, que são danosos às células.

Além disso, a maca peruana também é rica em flavonóides, outro poderoso antioxidante que protege as células e o organismo dos efeitos do estresse oxidativo.

Por ser rica em ativos antioxidantes, pode promover renovação celular, protege contra ação da radiação UV, previne contra o envelhecimento da pele e fortalece o sistema imunológico.

Propriedades cicatrizantes

Dentre inúmero benefícios, a lepidium meyenii possui atividade cicatrizante. Fonte da imagem: Freepik.

Alguns estudos mostram que a maca peruana (principalmente a maca preta) apresenta propriedades cicatrizantes, contribuindo para o fechamento e recuperação das feridas. Esses efeitos puderam ser observados tanto com o tratamento oral como tópico.

Propriedades antimicrobicidas

A maca peruana também tem atividade antimicrobicida, diminuindo a contagem de bactérias. Fonte da imagem: Freepik.

O mesmo estudo que apontou as propriedades cicatrizantes também demonstrou que o uso da maca peruana apresentou atividade antimicrobicida, diminuindo a contagem de bactérias.

Aumento da fertilidade

Além de melhorar a função sexual, a maca peruana aumenta a fertilidade, por envolver regulação de hormônios e aumento do número de espermatozóides. Fonte da imagem: Freepik.

A maca peruana traz benefícios para a fertilidade por regular uma série de hormônios envolvidos no desejo sexual, concepção e gravidez. Ela pode trazer benefícios para a fertilidade do homem e da mulher.

No homem, além da regulação de hormônios, a maca peruana pode ajudar a aumentar a produção e motilidade de espermatozóides.

Além de aumentar as chances de engravidar, a maca peruana ajuda no sucesso da gravidez, evitando abortos espontâneos.

Aumento da libido e redução da disfunção erétil

Um dos benefícios mais conhecidos da maca peruana é o aumento do desejo sexual (libido). Pode ser auxiliar no tratamento da disfunção erétil ou disfunção sexual.  Fonte da imagem: Freepik.

O aumento da libido provocado por este alimento é um dos benefícios mais conhecidos e utilizados desde os tempos antigos. Inclusive, a maca peruana é também conhecida como viagra dos incas. Desde a antiguidade, era reconhecida como poderoso afrodisíaco, aumentando o desejo sexual.

A maca peruana aumenta a libido tanto em homens quanto em mulheres. Esse efeito está relacionado, principalmente, ao aumento da produção de hormônios relacionados à atividade sexual.

Por isso, tem papel importante no aumento do desempenho sexual masculino e feminino e pode ser, inclusive, utilizada como auxiliar no tratamento para a disfunção erétil.

Aumenta a energia

É rica em polissacarídeos, que funcionam como reserva de energia. Fonte da imagem: Freepik.

A maca peruana, por ser rica em polissacarídeos, que são cardoidratos responsáveis por armazenar energia, acaba contribuindo para a diminuição do cansaço e fadiga física e mental.

Assim, além de auxiliar na recuperação física de atletas (o que aumenta a resistência física), também aumenta a concentração e performance mental.

Alívio dos sintomas da menopausa

Por ter atividade similar a do estrogênio, alivia os sintomas da menopausa. Fonte da imagem: Freepik.

Por ter papel na regulação de hormônios, a maca peruana ajuda a aliviar os sintomas da menopausa, como as ondas de calor em excesso, por exemplo.

A maca peruana também é rica em flavonoides, que são compostos similares ao estrogênio e tem uma atividade semelhante a do estrogênio no organismo. O estrogênio é um hormônio feminino ligado ao ciclo menstrual. Muitos dos sintomas da menopausa estão associados à queda do estrogênio.

Melhora da anemia

A maca peruana é rica em ferro. Por isso, pode auxiliar no tratamento de casos de anemia por deficiência de ferro. Fonte da imagem: Freepik.

A anemia ferropriva, causada pela deficiência de ferro no sangue, é a anemia mais prevalente em todo o mundo.

A maca peruana é rica em ferro. Assim, ajuda a aumentar a ingestão de ferro, auxiliando no tratamento da anemia.

Aumento da saciedade

Rica em fibras, a maca peruana contribui para um aumento da saciedade. Fonte da imagem: Freepik.

Além de todos os outros nutrientes e vitaminas, a maca peruana também é rica em fibras, o que ajuda a aumentar a saciedade e, quando atrelada ao déficit calórico e atividades físicas, pode auxiliar no processo de emagrecimento.

Contudo, por ser um alimento rico em carboidratos, se ingerido sem orientação por pessoas sedentárias, pode provocar aumento relativo do peso.

Melhora da osteoporose

Rica em cálcio, proporciona melhora da osteoporose. Fonte da imagem: Freepik.

A maca peruana é um alimento rico em cálcio, nutriente essencial para a saúde e fortalecimento dos ossos. Além disso, em mulheres na menopausa, a osteoporose é muito comum pela queda da produção de estrogênio, que é um hormônio sexual feminino que também auxilia na proteção dos ossos.

Como a maca apresenta atividade semelhante a do estrogênio, o consumo de maca peruana melhora a osteoporose pós menopausa.

Proteção do coração

Rica em gordura boa, protege o coração contra doenças cardiovasculares. Fonte da imagem: Freepik.

A maca peruana também é rica em ômega 3, que é um tipo de gordura boa, que tem efeito vasodilatador e proporciona uma melhora do perfil lipídico, controlando os níveis de colesterol.

Por isso, o consumo da maca peruana auxilia na prevenção de doenças cardiovasculares.

Como tomar maca peruana

Pode ser consumida em cápsulas, comprimidos ou em pó, sendo utilizada como ingredientes para preparar outros alimentos. Fonte da imagem: Freepik.

Como já mencionado, a maca peruana é um tubérculo, ou seja, uma raiz, que é cultivada na Cordilheira dos Andes, no Peru, em uma altitude específica.

Como nem todos têm acesso à raiz propriamente dita, pode se valer de outros meios para se utilizar dos benefícios da maca peruana. Ela pode ser encontrada como suplemento alimentar, que pode ser apresentada tanto em cápsulas, comprimidos, como em farinha de maca peruana (maca peruana em pó). A quantidade por porção pode variar conforme a marca.

Maca peruana em cápsulas

O consumo da maca peruana pode ser feito sozinho ou em conjunto com algum outro alimento. Quando consumida em cápsulas, pode ser tomada com algum líquido apenas. A utilização destes tipos de produtos traz praticidade ao dia a dia.

Maca peruana em pó

Já quando consumida em pó, existem várias formas de variar o preparo. Por exemplo, você pode utilizar o produto no preparo de receitas. Ela pode ser utilizada tanto em receitas doces quanto salgadas. A maca peruana em pó é um produto de sabor neutro, o que facilita e diversifica as formas de consumo.

Veja aqui algumas formas de variar o consumo de maca peruana em pó:

Basta adicionar o produto e seguir normalmente a receita que você já está habituado a fazer.

Em média, recomenda-se o consumo de 3 gramas por dia. O ideal é que o produto não seja consumido por mais de quatro meses.

Ao optar por tomar o suplemento, opte por aqueles produtos que têm qualidade reconhecida no mercado. Marcas confiáveis e com boas recomendações. Produtos de má qualidade podem não trazer os benefícios desejados.

É importante buscar orientação médica ou de profissional de saúde que faz o seu acompanhamento para ver as melhores opções e estratégias para o seu caso, de acordo com as suas necessidades, sempre priorizando a sua saúde.

Quem não pode tomar maca peruana?

Apesar de todos os benefícios em bem estar que pode trazer à saúde do organismo, a maca peruana não é recomendada para alguns grupos de pessoas.

Mulheres grávidas

A maca peruana não é indicada para grávidas. Fonte da imagem: Freepik.

Ainda não existem estudos que ateste a segurança do consumo de maca peruana durante a gravidez. Portanto, não é indicado para mulheres grávidas.

Pessoas com problemas relacionados à tireóide

Não deve ser tomada, sem orientação médica, por quem tem problemas na tireóide. Fonte da imagem; Freepik.

A maca peruana é um estimulante da produção hormonal. Algumas pessoas apresentam problemas na tireóide que já causam um aumento na produção de hormônios e, consumindo a maca peruana, pode haver um aumento excessivo da atividade hormonal, gerando alguns problemas.

Por isso, pessoas com problemas na tireóide não devem tomar maca peruana sem antes consultar um médico ou nutricionista.

Lactantes

Por falta de estudos que garantam a segurança do consumo para o bebê, não deve ser tomada por lactantes. Fonte da imagem: Freepik.

Não há evidências que mostrem que o uso de maca peruana é seguro para o bebê.

Mulheres com endometriose, mioma uterino, câncer de mama, de ovário ou de útero

Não deve ser tomada por quem tem doenças estrogênio dependentes. Fonte da imagem: Freepik.

O estrogênio é um hormônio sexual feminino. Ele estimula a divisão celular e, caso essa divisão ocorra de forma equivocada, aumenta o risco de desenvolvimento de câncer.

Em mulheres com câncer de mama, o estrogênio pode estimular o crescimento do tumor.

Os focos da endometriose crescem pela ação do estrogênio.

A maca peruana funciona como um fitoestrogênio, ou seja, ela apresenta estrutura e funções semelhantes ao estrogênio. Por isso, mulheres que possuem qualquer doença estrogênio dependente (causada ou agravada pelo excesso de estrogênio) não devem consumir maca peruana.

Independente de apresentar ou não os sintomas acima citados, o ideal é sempre consultar um médico ou nutricionista antes de inserir a maca peruana (principalmente na forma de suplemento) na sua rotina.

Efeitos colaterais

Quando ingerida nas quantidades e tempo determinados, não há evidências do surgimento de efeitos colaterais em seres humanos. Entretanto, quando em excesso ou por tempo prolongado (mais de 4 meses), pode causar alergia, com irritação da mucosa gástrica e refluxo.

Quando tomada em excesso pode causar alergias. Fonte da imagem: Freepik.